Filhos Gêmeos – Pensando na individualidade desde o Nascimento

 

Liana Kupferman

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

   

Primeiramente, é preciso ter a clareza de que serão, independentes da condição genética – univitelinos e bivitelinos, pessoas distintas. Desde a experiência com que passarão no interior da barriga, a posição, quem recebeu mais alimento pelo cordão umbilical, a vivência única do parto, a necessidade ou não de uma incubadora/cuidados especiais pós-parto, até a amamentação, podem influenciar futuramente em sua personalidade. Dar nomes bem diferente para cada um já é um bom começo.

 

   A diferenciação no início, como são muito pequenos, entrará como um meio mais para te auxiliar. Ao preparar o enxoval, por exemplo, provavelmente você não vai resistir em comprar roupinhas iguais, mas pode diferenciar nas cores. Imagine o tempo todo tendo que se esforçar para lembrar quem é quem, principalmente se são univitelinos ou no meio da noite , exausta, com eles chorando. Colocar algum acessório diferente em quem mamou por último, dobrar a meia, ou alguma forma de identificação que te facilite na sua rotina.

 

    Será uma fase de conhecimento. Aproveite os momentos com cada um para perceber quais são os gestos, o choro, a forma de se comunicar que seus bebês tem. Geralmente tem um que já apresenta desde o nascimento ser mais faminto, mais impaciente, outro mais manhoso, etc. Não se assuste se isso alternar depois. É muito comum acontecer, assim como em qualquer criança, sem ser gemelar. Ouve-se muito das mães: “Puxa, ele era tão calminho, agora parece tão nervoso”.

 

    Conforme vão crescendo, procure sempre incentivar com vestimenta diferente, mesmo que seja em algum acessório ou cor, como mencionado anteriormente. Isso ajudará muito as pessoas a identificarem cada um, e de alguma forma, você está passando a mensagem para eles que não são copias!

 

    Comparações também vão surgir, sejam suas ou de terceiros, e isso é inevitável. Evite que seja falado na frente deles, mas se acontecer, você pode acrescentar: “É, ele ESTÁ mais agitado, às vezes o irmão é quem ESTÁ”. Por mais que eles tenham uma característica predominante, ninguém é agitado o tempo todo.

Ao escolherem atividades extra-curriculares, motive-os a optarem por algo de preferência individual. É comum no começo os gêmeos desejarem fazer tudo junto, e não há problema. No dia-a-dia, eles mesmos vão percebendo e será a oportunidade para mudar a atividade posteriormente. Para facilitar a sua vida, tente academia ou clube, onde podem fazer atividades diferentes, porém no mesmo horário.

 

    Coloca-los em classes diferentes, deve-se ter um cuidado especial. É um tema bem abrangente que merece um artigo inteiro para abordar esse assunto. De uma forma bem resumida, orienta-se geralmente a iniciarem juntos na mesma classe, e com o tempo, os pais, a escola, e principalmente os próprios filhos, perceberão que é o momento da separação. A vantagem em estudarem cada um em sua classe, é poderem estar individualmente, sem a comparação constante dos amigos, professores e eles mesmos. Terão que fazer seu próprio circulo de amizade e agir por si só.

 

    O vínculo com cada um será único e você vai perceber que tudo vai acontecer naturalmente, porque as demandas são distintas e as afinidades também. Seu relacionamento pode ser mais fácil com um do que com outro, e muitas vezes isso poder gerar culpa. Mas calma! Isso é totalmente normal. Com o tempo, as afinidades podem alternar. Procure descobrir o que tem em comum com todos e desfrutar em conjunto. Por outro lado, tente reservar um dia ou uma atividade para fazer exclusivamente com cada um separadamente. Cobrar-se para terem a mesma relação, executarem tarefas similares, e oferecer tudo exatamente na mesma proporção, com objetivo de parecer “justa” é a maior armadilha que pode ter por não reconhecer que eles são diferentes.

 

    Enfim, pode não parecer fácil essa grande responsabilidade que as mães/pais têm desde o nascimentos de seus bebês, mas tendo esse olhar e estarem sempre atentos, farão de vocês um bom facilitador para o desenvolvimento da personalidade de seus filhos, com certeza será muito gratificante!


 

Liana Kupferman

CRP 06/72552

Liana Kupferman é psicóloga clínica e especialista no tema gemelaridade, que pesquisa há mais de 10 anos. Autora do estudo “O Relacionamento dos Irmãos Gêmeos ao Longo do Ciclo Vital” (PUC-SP).


 

 

     Diante de tantos desafios do papel de ser mãe de gêmeos, existe um que você vai se deparar o tempo todo: “como incentivar a individualidade dos filhos?”.

Foto: Pinterest

  • Wix Facebook page

SIGA-ME

  • Wix Facebook page